(11) 3254-2011 / (11) 94319-2724 contato@molinajazzar.adv.br

Notícias

Instalador terceirizado de serviços de telecomunicações obtém vínculo de emprego com GVT

16/09/2016

A Global Village Telecom S.A. (GVT) foi condenada ao reconhecimento do vínculo de emprego de um instalador de linhas telefônicas, internet e TV a cabo que prestava serviços por meio da empresa terceirizada Dimensão Serviços de Telecomunicações e Tecnologia Aplicada Ltda. A empresa recorreu da decisão condenatória, mas a Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho desproveu o recurso, reconhecendo sua condição de empregadora.

A condenação foi aplicada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região (ES) ao reformar a sentença do juízo da primeira instância que havia indeferido o vínculo empregatício ao empregado. Segundo o entendimento regional, os serviços prestados pelo trabalhador estão relacionados à atividade-fim da empresa.

A GVT sustentou a ilicitude da terceirização, alegando que as tarefas de instalação e manutenção de equipamentos são atividades secundárias que dão suporte à execução da atividade-fim de empresa de telecomunicações.

Ao examinar o recurso da empresa ao TST, o ministro Augusto César Leite de carvalho, relator, fez uma exposição das razões que levaram o TST a editar a Súmula 331, que trata da possibilidade da terceirização de serviços na área de telecomunicações. Com base na jurisprudência, ele manteve a decisão que condenou a GVT ao reconhecimento do vínculo empregatício.

Para o ministro, a terceirização “não é uma atividade econômica per se, mas sim o compartilhamento da atividade econômica de outra empresa”. A telefonia, por sua vez, é um ramo em que as mudanças impostas pelas descobertas tecnológicas são constantes. “Amarrá-las a conceitos fechados, presas em súmulas e forjadas em circunstâncias que não mais existem é um erro que não pode persistir”, afirmou.

Augusto César observa que o inciso II do artigo 94 da Lei 9.472/97 (que disciplina a organização dos serviços de telecomunicações), ao admitir a contratação de atividades inerentes, complementares e acessórias, visou permitir a ampla terceirização “exatamente para que os objetivos destas empresas pudessem ser atingidos”. “Ampliar o sentido do termo ‘inerente’, previsto na norma, para compreendê-lo como análogo à atividade-fim, aceitando a transferência do desenvolvimento de serviços essenciais a terceiros, significaria um desajuste em face dos clássicos objetivos tutelares e redistributivos que sempre caracterizaram o Direito  do Trabalho ao longo de sua história, refratários desde sempre à degradação ou precarização do trabalho humano”, concluiu.

A decisão foi unânime.

Processo: RR-226-18.2014.5.17.0001

Fonte: Tribunal Superior do Trabalho (TST)
(Mário Correia/CF)

Últimas Notícias

Abril Verde: com monumentos iluminados e seminário, TRT-15 busca conscientizar sobre a importância do trabalho seguro

Abril Verde: com monumentos iluminados e seminário, TRT-15 busca conscientizar sobre a importância do trabalho seguro anasiqueira Sex, 12/04/2024 - 14:45 Abril Verde: com monumentos iluminados e seminário, TRT-15 busca conscientizar sobre a importância do trabalho...

Mediação na SDC nesta quinta, 11/4, encerrará conflito entre Sesé Logística e trabalhadores

Mediação na SDC nesta quinta, 11/4, encerrará conflito entre Sesé Logística e trabalhadores anasiqueira Sex, 12/04/2024 - 14:38 Mediação na SDC nesta quinta, 11/4, encerrará conflito entre Sesé Logística e trabalhadores Conteúdo da Notícia Um acordo assinado na tarde...

Santander é condenado a R$ 1,5 mi por descumprir leis de proteção ao trabalhador

Santander é condenado a R$ 1,5 mi por descumprir leis de proteção ao trabalhador anasiqueira Sex, 12/04/2024 - 14:01 Santander é condenado a R$ 1,5 mi por descumprir leis de proteção ao trabalhador Conteúdo da Notícia O juiz da 6ª Vara do Trabalho de Ribeirão Preto,...

11ª Câmara não reconhece trabalho intermitente e condena empresa por danos morais

11ª Câmara não reconhece trabalho intermitente e condena empresa por danos morais anasiqueira Sex, 12/04/2024 - 13:59 11ª Câmara não reconhece trabalho intermitente e condena empresa por danos morais Conteúdo da Notícia A 11ª Câmara do Tribunal Regional do Trabalho da...

Presidente do TRT-15 visita Assembleia Legislativa de São Paulo

Presidente do TRT-15 visita Assembleia Legislativa de São Paulo anasiqueira Qui, 11/04/2024 - 16:09 Presidente do TRT-15 visita Assembleia Legislativa de São Paulo Conteúdo da Notícia Na terça-feira, 9/4, o presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região,...

Sentença condena aplicativo de transportes em R$ 1 bilhão por danos morais coletivos

A 4ª Vara do Trabalho de São Paulo condenou a Uber a realizar a contratação de todos os motoristas ativos em sua plataforma, além de pagar R$ 1 bilhão em danos morais coletivos. Publicada nesta quinta-feira (14/9), a decisão foi tomada em sede de ação civil pública...

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região e Petrobras firmam acordo de cooperação técnica

A Justiça do Trabalho da 2ª Região e a Petrobras assinaram, nesta quinta-feira (14/9), um acordo de cooperação técnica que visa adotar uma rotina conciliatória envolvendo as execuções trabalhistas que tenham a empresa como responsável subsidiária.O acordo convenciona...

Beneficiário da justiça gratuita que falta a audiência sem justificativa deve pagar custas

A 9ª Turma do Regional do Trabalho da 2ª Região confirmou  sentença que condenou um trabalhador ao pagamento de custas judiciais após não ter comparecido à audiência de instrução.Na ocasião, o juízo de primeiro grau decidiu pelo arquivamento do processo e deferiu ao...